dcsimg

Engenharia de Aquicultura: saiba tudo sobre o curso e mercado

Descubra o que é Engenharia de Aquicultura, o que fazem os profissionais da área e o que se estuda nessa graduação.

Aquicultura (ou Aquacultura) é a ciência que estuda a criação e o cultivo de organismos aquáticos, como peixes, crustáceos, moluscos, anfíbios, répteis, algas e plantas de água doce ou salgada. É uma subárea das Ciências Agrárias, ramo que busca o aprimoramento técnico e produtivo no manejo de recursos naturais.

O engenheiro de Aquicultura é o profissional que projeta, executa e supervisiona a criação de animais e outros organismos aquáticos. Ele pode atuar, também, nas demais etapas que compõem a cadeia de produção de alimentos e outros produtos derivados desses espécimes. 

Abaixo, falaremos mais sobre o mercado de trabalho e a formação na área. Confira!

Mercado de trabalho para o engenheiro de Aquicultura

Como o Brasil é um dos maiores produtores mundiais de pescado em cativeiro, existe grande demanda por profissionais especializados na área. 

Regiões costeiras, especialmente no Nordeste e no Sul do país, são as que mais demandam o trabalho desses engenheiros. Por outro lado, o número de criações em tanques no interior do Brasil tem crescido, necessitando a atuação de profissionais da área.

É comum encontrar engenheiros de Aquicultura trabalhando, principalmente, em atividades de produção, captura e industrialização de peixes, algas e moluscos.

Veja, a seguir, os principais tipos de organizações que contratam engenheiros em Aquicultura:

  • Empresas especializadas na criação de peixes (piscicultura), ostras (ostreicultura), rãs (ranicultura), mexilhões (mitilicultura), camarões (carcinicultura) ou de animais aquáticos ornamentais.
  • Empresas de melhoramento genético.
  • Construtoras, em setores ligados à conservação e impacto ambiental.
  • Órgãos públicos.
  • Universidades e institutos de pesquisa científica.

Salário do engenheiro de Aquicultura

O salário médio dos engenheiros de Aquicultura no Brasil é de R$ 4.700, segundo dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do governo federal.

Profissionais de nível sênior (mais de 6 anos de experiência) em grandes e médias empresas são os mais bem remunerados, com salários normalmente acima de R$ 10.000.

Como é o curso de Engenharia de Aquicultura

A graduação dura 5 anos, é do tipo bacharelado (formação longa e abrangente) e é oferecida apenas na modalidade presencial. O curso combina disciplinas das áreas de exatas e biológicas.

Aqui estão algumas das disciplinas que compõem a matriz curricular do curso de Engenharia de Aquicultura:

  • Botânica Aquática
  • Matemática
  • Expressão Gráfica
  • Física
  • Geometria
  • Zoologia dos Invertebrados Aquáticos
  • Citologia e Histologia
  • Química Geral
  • Zoologia dos Vertebrados Aquáticos
  • Bioquímica
  • Ecologia
  • Física Experimental
  • Ciência do Solo
  • Hidrologia e Manejo de Bacias Hidrográficas
  • Topografia
  • Fisiologia dos Animais Aquáticos
  • Genética
  • Nutrição dos Animais Aquáticos
  • Piscicultura 
  • Termodinâmica
  • Produção de Alimento Vivo
  • Melhoramento Genético
  • Qualidade da Água
  • Climatologia e Meteorologia Agrícola
  • Patologia de Organismos Aquáticos
  • Maricultura
  • Gerenciamento de Resíduos
  • Tecnologia do Pescado

A graduação inclui, ainda, períodos de estágio obrigatório e TCC (Trabalho de Conclusão de Curso).

Faculdades que oferecem o curso

De acordo com o portal e-MEC, do Ministério da Educação, 11 instituições estão habilitadas a oferecer o curso de Engenharia de Aquicultura, todas elas da rede federal:

  • Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE)
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR)
  • Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES)
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM)
  • Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)

Das instituições acima, as que têm melhores índices nas avaliações do MEC são a UFPR e a UFRN.

Outras opções de cursos para trabalhar na área

Se você deseja trabalhar com Aquicultura, mas não encontra essa graduação na sua cidade, que tal pesquisar sobre cursos de áreas correlatas? Conheça alguns deles:

Uma boa notícia é que vários dos cursos acima — como Engenharia Ambiental, Ciências Biológicas e Gestão Ambiental — são oferecidos também nas modalidades semipresencial e a distância (EAD) em universidades como a Anhanguera e a Cruzeiro do Sul Virtual.

Onde estudar

Ao pesquisar onde fazer sua graduação, não se esqueça de verificar se a instituição e o curso de seu interesse são reconhecidos pelo MEC (Ministério da Educação). Apenas faculdades credenciadas emitem diplomas válidos, aceitos tanto pelo setor privado quanto por programas de pós-graduação e concursos públicos.

Abaixo, listamos algumas instituições particulares que cumprem todos os requisitos do MEC, oferecem vários dos cursos que mencionamos aqui e trabalham com sistemas de bolsas e descontos. Clique para saber mais:

Navegue pelos sites das universidades acima e informe-se sobre cursos, modalidades de ensino, mensalidades e bolsas. Bons estudos!

Leia também:

Descubra qual é a nota de corte para Medicina Veterinária

Conheça 10 cursos para quem gosta de animais

Você tem interesse na área de Aquicultura? Que curso de graduação pretende fazer? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin