Assistente Administrativo: profissão, mercado e o que estudar

Procurada por muitos, a carreira de assistente administrativo tem algumas razões para atrair tanta gente em início da vida profissional. Como muitas de suas atividades acabam envolvendo diversos setores de uma empresa, o trabalho acaba dando uma visão ampla dos processos administrativos de uma companhia.

E isso traz uma chance de criar uma experiência para os funcionários que poderá trazer benefícios no futuro. Por participar de diversos setores e ter contato com muitas áreas, o assistente administrativo pode adquirir conhecimento para se desenvolver em áreas específicas e ter uma carreira sempre em crescimento.

Como não há um curso específico para a profissão, são muitas carreiras que podem vir atuar como assistente administrativo.

Este texto vai te ajudar a entender sobre esses cursos, o mercado de trabalho e a profissão de assistente administrativo. Confira e veja se essa carreira tem a ver com você.

O que faz um assistente administrativo?

O assistente administrativo tem funções que podem envolver diversos funcionários de várias áreas da empresa. Ele pode ter serviço com equipes de gestão e administração, financeira, departamento pessoal e logística.

Esse profissional é um dos encarregados por gerenciar tarefas rotineiras que tornam o dia a dia de trabalho da empresa mais dinâmico e suas operações mais organizadas. Parte do seu ofício é controlar gastos e ganhos financeiros, emissão de documentos importantes e relacionamento entre parceiros e clientes.

Veja algumas das tarefas do dia a dia:

  • Receber documentos destinados aos setores ou demais funcionários da empresa;
  • Enviar correspondências em que a empresa ou funcionários sejam remetentes;
  • Controlar financeiro com as despesas e as receitas;
  • Emitir notas fiscais;
  • Elaborar de relatórios financeiros de gastos e poupanças;
  • Atuação na logística da empresa;
  • Tomar conta de arquivos;
  • Atualizar informações de cadastro da empresa e de clientes;
  • Dar suporte a líderes com questões práticas da rotina de trabalho;
  • Preparar documentos da empresa;
  • Prestar informações ao público;
  • Responder e-mails;
  • Demais serviços de secretaria.

As tarefas acima são gerais e podem ser executadas em qualquer departamento de gerenciamento de uma empresa. Mas o assistente administrativo também pode atuar especificamente em alguma área, focando em executar o seu trabalho para apenas um setor que precise do serviço. Veja alguns casos:

  • Assistente Comercial
  • Assistente de Atendimento;
  • Assistente de Compras;
  • Assistente de Logística;
  • Assistente de Recursos Humano;
  • Assistente de Vendas;
  • Assistente Financeiro.

Por ter bastante espaço, é uma profissão que atrai muita gente para a área administrativa.

Qual é o salário de um assistente administrativo?

O salário de um assistente administrativo varia de acordo com a região e o estado onde se emprega no Brasil. Em média, esse profissional recebe R$ 1.869,88 por mês, segundo levantamento do site especializado Salario.com.br.

O site usou como base os dados salariais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de 2020. Ao todo, estão registrados mais de 500 mil salários para a profissão de assistente administrativo no país.

O Guia de Profissões do site Quero Bolsa também fez um estudo com base no Caged. Nele, é possível verificar qual é o salário médio mensal dos profissionais da área nos estados brasileiros. Veja alguns:

  • Amazonas: R$ 1.564,65
  • Bahia: R$ 1.299,70
  • Ceará: R$ 1.209,21
  • Distrito Federal: 2.359,99
  • Goiás: R$ 1.380,25
  • Minas Gerais: R$ 1.305,18
  • Pará: R$ 1.354,67
  • Pernambuco: R$ 1.277,29
  • Rio de Janeiro: R$ 1.504,66
  • Rio Grande do Sul: R$ 1.436,17
  • Roraima: R$ 1.524,95
  • Santa Catarina: R$ 1.562,33
  • São Paulo: R$ 1.633,83

Área de atuação da empresa, a experiência do profissional e a sua formação acadêmica são algumas das formas de aumentar a remuneração. Segundo o Salario.com.br, o teto salarial do assistente administrativo é de R$ 4.157,93 ao mês.

Mercado de trabalho

Pelo Caged, é possível perceber que o mercado de trabalho para um assistente administrativo é bastante amplo: no Brasil, são 572.940 profissionais com carteira assinada em regime CLT.

São profissionais com trabalho essencial em diversos tipos de negócios, como empresas privadas que trabalham no comércio, indústria e serviço, instituições públicas e instituições de ensino.

Como ser um assistente administrativo?

Não há um curso nem uma forma específica para se tornar um assistente administrativo no Brasil. Há empresas que exigem o Ensino Médio completo para contratar para o cargo. Outras, contratam profissionais com Ensino Superior completo ou estagiários que estão cursando alguma graduação.

Quem tem no currículo o diploma de nível superior, o espaço no mercado de trabalho e maior e com mais oportunidades. Além disso, o cargo de assistente administrativo dá a chance para o crescimento profissional em ocupações superiores na área de gestão da empresa.

Portanto, aqueles que visam cargos superiores e, consequentemente, maiores salários, devem aproveitar o conhecimento técnico e prático que uma faculdade dá aos estudantes e futuros profissionais.

Para ingressar nessa carreira, o mais indicado são cursos tecnológicos na área de Gestão e Negócios, como por exemplo:

São graduações que formam profissionais tecnólogos focados na área prática do mercado de trabalho em apenas dois ou três anos.

Para fazer o curso, o estudante precisa escolher com cuidado onde estudar. Apenas faculdades com o certificado do Ministério da Educação (MEC) estão autorizadas a formar profissionais com diploma válido no mercado.

Então nós separamos algumas dessas faculdades que possuem boa reputação entre as empresas e são reconhecidas pelo MEC para funcionar. Veja abaixo:

Essas universidades possuem cursos presenciais e a distância em unidades espalhadas por todas as regiões do Brasil.

Leia também: Gestão e Negócios

O que achou da profissão de assistente administrativo? Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin