dcsimg

Curso de Engenharia de Alimentos

Conheça o curso de Engenharia de Alimentos, como é a profissão e onde estudar!

alimentos

O curso de Engenharia de Alimentos é do tipo bacharelado e dura em média 5 anos. O estágio supervisionado e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) são obrigatórios para concluir a graduação.

A Engenharia de Alimentos se ocupa de todo o processo de industrialização de produtos alimentícios, desde a seleção da matéria-prima até o transporte e armazenamento.

O engenheiro de alimentos é o profissional apto a desenvolver novos processos de fabricação de alimentos com segurança e qualidade, pesquisar novas tecnologias, desenvolver embalagens, testar formulações e determinar o valor nutricional de alimentos, entre outras atividades.

A profissão de engenheiro de alimentos foi regulamentada em 1966 (juntamente com a regulamentação para todas as engenharias) e, para exercê-la, é obrigatório ter diploma de nível superior em curso de Engenharia de Alimentos reconhecido pelo MEC e registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do estado onde atua.

Saiba mais sobre o curso de Engenharia de Alimentos, o perfil profissional desse profissional, o mercado de trabalho e onde estudar esta graduação!

O curso de Engenharia de Alimentos

O curso de Engenharia de Alimentos é uma graduação de nível superior do tipo bacharelado, com duração média de 5 anos.

Como acontece em todos os cursos de Engenharia, os alunos têm uma carga horária considerável de disciplinas das Ciências Exatas, como Matemática (Cálculo e Álgebra) e Física. Nos primeiros anos do curso, normalmente, o estudante passa por um ciclo básico com disciplinas comuns a todas as engenharias. A partir do quinto período, aumenta o número de matérias específicas da Engenharia de Alimentos. Nos últimos períodos da graduação em Engenharia de Alimentos, é obrigatório fazer um estágio supervisionado e, ao final do curso, o aluno deve apresentar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Grade Curricular

O currículo de Engenharia de Alimentos varia de acordo com a faculdade que oferece o curso.

Veja algumas disciplinas que você poderá encontrar:

  • Administração
  • Álgebra
  • Bioquímica
  • Cálculo
  • Desenho Técnico
  • Distribuição de Alimentos
  • Economia
  • Eletrotécnica
  • Estatística
  • Fenômenos de Transporte
  • Física
  • Fundamentos da Engenharia de Alimentos
  • Gestão da Qualidade
  • Gestão Industrial
  • Instalações e Instrumentação Industrial
  • Instrumentação Eletrônica
  • Mecânica
  • Microbiologia
  • Nutrição Humana
  • Processamento e Tecnologia de Alimentos
  • Química
  • Resistência dos Materiais
  • Sociologia
  • Tecnologia da Produção de Álcool e Bebidas Fermentadas
  • Tecnologia de Embalagens
  • Tecnologia de Pescado
  • Tecnologia de Produtos Vegetais
  • Termodinâmica
  • Toxicologia dos Alimentos
  • Tratamento de Resíduos

Onde estudar Engenharia de Alimentos

Existem 89 instituições públicas e privadas autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Engenharia de Alimentos.

Conheça algumas:

No site do e-mec você pode consultar todas as faculdades de Engenharia de Alimentos autorizadas pelo MEC.

Perfil profissional do engenheiro de alimentos

O engenheiro de alimentos deve ser metódico, detalhista e, ao mesmo tempo, ter visão ampla de processos e capacidade de análise. Além de sólidos conhecimentos em Ciências Exatas e nos processos industriais da fabricação de alimentos, deve demonstrar capacidade de liderança e de trabalho em equipe.

Este profissional pode atuar em áreas como:

  • Controle da Qualidade
  • Fiscalização de Alimentos e Bebidas
  • Pesquisa e Desenvolvimento
  • Processos e Produção
  • Projetos
  • Vendas e Marketing

Mercado de trabalho para quem faz Engenharia de Alimentos

O mercado de trabalho para quem faz engenharia de alimentos é amplo e está em expansão. A indústria alimentícia está entre os setores que mais empregam engenheiros de alimentos, mas sua atuação pode ir muito além.

O engenheiro de alimentos pode trabalhar em empresas de distribuição e venda de alimentos, redes de fast food, microcervejarias artesanais, órgãos públicos de vigilância e fiscalização sanitária, ministérios, laboratório, universidades e institutos de pesquisa,  entre outros.

Sua formação generalista permite ainda atuar como gestor em empresas de alimentos, desenvolver novos produtos, otimizar processos fabris e até mesmo projetar e avaliar a viabilidade econômica de instalação de novas fábricas e equipamentos.

De acordo com dados do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA), existem pouco mais de 5 mil engenheiros de alimentos cadastrados no Brasil. Os estados com o maior número de profissionais são, respectivamente: São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiânia e Paraná.

A Engenharia faz parte das categorias de trabalhadores que contam com um Salário Mínimo Profissional definido por lei. A remuneração mínima que

um engenheiro pode receber está vinculada ao salário mínimo vigente no País e depende da jornada diária de trabalho:

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos
  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos
  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos

Veja também:

Quanto ganha um Engenheiro de Alimentos?

Você se interessou pelo curso de Engenharia de Alimentos? Compartilhe suas expectativas aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin