O que faz um técnico em Segurança do Trabalho

Enquanto buscam uma carreira, muitas pessoas se deparam com a profissão sem saber exatamente o que faz um técnico em segurança do trabalho. Apesar de ser um curso que atrai muitos estudantes buscando ingressar no mercado, ainda é uma profissão não tanto conhecida e que gera algumas dúvidas sobre o dia a dia do trabalho.

Agora chegou a hora de ter todas essas perguntas sobre o profissional de segurança do trabalho respondidas. Aqui, você vai entender como é a rotina da carreira, o passo a passo para se tornar um profissional de sucesso na área, os salários médios e as diretrizes do curso de Segurança do Trabalho.

Entenda o que faz um técnico em Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho é um dos cursos técnicos mais procurados por estudantes. E há algumas razões para isso, como a crescente empregabilidade em empresas, o mercado de trabalho em alta e o salário atrativo ao longo da carreira. Todos esses são motivos que atraem alunos para a profissão.

O Ministério da Educação (MEC) possui a publicação do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (CNCT), onde é possível encontrar as diretrizes da profissão de técnico em Segurança do Trabalho. Veja algumas de suas principais funções, segundo o MEC:

  • Analisa os métodos e os processos laborais;
  • Identifica fatores de risco de acidentes do trabalho, de doenças profissionais e de trabalho e de presença de agentes ambientais agressivos ao trabalhador;
  • Realiza procedimentos de orientação sobre medidas de eliminação e neutralização de riscos;
  • Promove programas, eventos e capacitações para os trabalhadores;
  • Divulga normas e procedimentos de segurança e higiene ocupacional;
  • Indica, solicita e inspeciona equipamentos de proteção coletiva e individual contra incêndio;
  • Levanta e utiliza dados estatísticos de doenças e acidentes de trabalho para ajustes das ações prevencionistas;
  • Produz relatórios referentes à segurança e à saúde do trabalhador.

O técnico em Segurança do Trabalho pode trabalhar em diferentes setores. Os principais campos de atuação são aeroportos, centrais de logística, comércio, construção civil, hospitais, indústrias e instituições de ensino.

O profissional pode também trabalhar em empresas especializadas na área e com consultorias em segurança do trabalho. Além disso, é possível trabalhar na fabricação e na representação de equipamentos de segurança, como os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC).

A legislação trabalhista brasileira estabelece a necessidade de que empresas realizem a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat). Nela, os profissionais de Segurança do Trabalho atuam para orientar os funcionários a tomar as medidas que cabem a cada um na prevenção e a atuar em casos de acidentes, como a capacitação de um grupo de brigadistas, responsáveis por primeiros-socorros e ações iniciais em caso de incêndio.

Qual o salário de um técnico em Segurança do Trabalho?

Definidos pelos sindicatos da categoria, os salários mínimo do técnico em Segurança do Trabalho variam de acordo com a cidade e o estado e o setor de atuação. O Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho no Estado de São Paulo (Sintesp) estabelece por convenção coletiva o piso para cada área, sendo o mais alto na área de construção civil.

Veja alguns dos pisos de 2019/2020 em cada setor:

  • Construção Civil: R$ 3.662,71;
  • Comércio: R$ 3.499,56;
  • Indústria: R$ 3.363,02;
  • Engenharia Consultiva: R$ 3.648,48;
  • Hospitais e clínicas particulares da capital: R$ 3.500,66;
  • Comércio Atacadista de Medicina, Perfumaria e Afins: R$ 3.499,56.

Segundo o site de busca de salários da Catho, a média salarial do técnico em Segurança do Trabalho no Brasil é de R$ 2.645,47. Um estagiário na área ganha R$ 876,81. Os salários podem variar de acordo com a experiência e nível do cargo do funcionário. Segundo a Catho, um gerente de Segurança do Trabalho pode receber em média R$ 10.760,55.

Quanto tempo dura um curso técnico de Segurança do Trabalho?

Além de todos os atrativos já citados neste texto, o curso técnico de Segurança do Trabalho tem um detalhe importante que chama a atenção de estudantes: o tempo para se formar é curto. A duração média do curso de nível técnico é de um ano e meio, podendo chegar a no máximo 2 anos.

Diferenças do curso técnico para o curso tecnológico de Segurança do Trabalho

Há o curso técnico de Segurança do Trabalho e o curso tecnológico de Segurança do Trabalho. Como são dois cursos que possuem o mesmo nome, podem confundir quem procura pela profissão de Segurança do Trabalho.

A formação é diferente. Enquanto o técnico é de nível médio, o curso tecnólogo é uma graduação de nível superior.

Os cursos tecnológicos têm duração média de 3 anos e podem ser oferecidos presencialmente e a distância (EaD). Por mais que seja um curso um pouco mais longo, ele prepara o estudante com disciplinas mais especializadas para a atuação em áreas mais amplas no mercado profissional.

Para ingressar no mercado de trabalho, o mais indicado para esta área é realizar o curso tecnológico de Segurança do Trabalho, que é uma graduação que forma profissionais tecnólogos de nível superior. O investimento vale pelo diploma de ensino superior, muito bem-visto por empresas que buscam esses profissionais.

Onde estudar Segurança do Trabalho?

Fazer uma faculdade de Segurança do Trabalho pode ser um passo importante para quem almeja cargos elevados com salários mais altos na profissão. No entanto, é preciso prestar atenção na hora de escolher uma faculdade, que deve ser reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) para que o diploma tenha validade no mercado.

Veja abaixo algumas opções de faculdades bem avaliadas pelo MEC:

Para realizar a graduação, não é preciso ter feito o curso técnico de Segurança do Trabalho. Basta ter o certificado de conclusão do ensino médio.

Leia mais: Segurança do Trabalho: saiba mais sobre esse curso

Se interessou pela profissão de Segurança do Trabalho? Compartilhe com a gente o que achou nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin