Saiba tudo sobre o doutorado

Entre os muitos tipos de pós-graduação que existem, o doutorado é um título de muito destaque para profissionais, especialmente no meio acadêmico. No entanto, com diversos tipos de especializações disponíveis, como cursos técnicos, MBA, mestrado e doutorado, nem sempre é fácil decidir qual opção seguir na carreira.

Por isso, saiba tudo sobre como funciona o doutorado, como entrar nele e quais são as diferenças entre doutorado, mestrado e outros tipos de especialização. Confira também dicas de onde estudar e como se especializar ainda mais na profissão. Vamos lá?

O que é o doutorado?

O doutorado é um grau de pós-graduação stricto sensu mais elevado, que aprofunda ainda mais os profissionais na sua área de pesquisa acadêmica. Com duração média entre 4 e 5 anos, o doutorando, que é o estudante que está realizando o doutorado, se dedica unicamente a uma pesquisa que visa apresentar novas descobertas sobre o objeto de estudo escolhido.

A ideia é que o profissional que cursar o doutorado consiga contribuir ainda mais para os conhecimentos acadêmicos da sua área, trazendo novas perspectivas sobre determinado tema. 

Para concluir o doutorado, é necessário que todos os estudos ao longo da especialização tornem-se em uma tese de doutorado, que será submetida a uma banca de especialistas para avaliação técnica. O objetivo desta etapa do doutorado é pôr à prova os conhecimentos específicos do doutorando, em que a tese é questionada e debatida por outros acadêmicos especializados na área. 

Após essa avaliação, se o doutorando receber a aprovação da banca sobre sua tese, ele recebe oficialmente o título de doutor.

Qual a diferença entre doutorado, mestrado e pós lato sensu?

Essa é uma das dúvidas mais comuns entre quem busca entender o que significa os diferentes tipos de pós-graduação stricto sensu – ou seja, níveis de pós-graduação que titulam os profissionais como mestres ou doutores em suas áreas do conhecimento.

O mestrado é uma especialização acadêmica que tem duração média de 2 anos, que exige do estudante-profissional o desenvolvimento de uma dissertação aplicada às necessidades da sociedade, analisando teorias e propondo soluções sobre determinada área do conhecimento. 

Existem mestrados acadêmicos ou profissionais, e em ambos o candidato é acompanhado por um professor orientador e, ao fim, recebe-se o título de mestre se sua dissertação for aprovada. Para fazer um mestrado, é preciso ter feito uma graduação e é interessante já ter realizado iniciações científicas durante sua jornada acadêmica.

Leia mais: Saiba tudo sobre o mestrado a distância e veja onde estudar

Já os doutorados são mais indicados para quem deseja se aprofundar ainda mais na área acadêmica. Com duração média de 4 a 5 anos, o estudante irá mergulhar de cabeça em sua pesquisa, elaborando uma tese de doutorado que represente avanços na sua área de conhecimento.

O doutorando também recebe acompanhamento de um professor orientador durante a elaboração de sua tese, e por fim, se aprovado, recebe o título de doutor. 

Enquanto no mestrado o candidato se aprofunda em caminhos teóricos sobre sua área, no doutorado são exigidas técnicas de pesquisa mais aprofundadas, a ponto de o candidato ser capaz de demonstrar novas descobertas para serem debatidas na academia.

Existe também o pós-doutorado, especialização que pode ser realizada após a conclusão do doutorado, que consiste na aplicação dos conhecimentos adquiridos durante o doutorado. Sendo assim, funciona como uma espécie de “estágio” do doutorado, com foco nas aplicações práticas da pesquisa do candidato, e tem duração média de 2 anos.

Quem pode fazer doutorado?

Estudiosos e profissionais de todas as áreas do conhecimento podem realizar um doutorado. No entanto, grande parte das instituições de ensino só aceitam candidatos que já tenham passado pelo mestrado seguido da graduação. 

estudante de doutorado - Guia da Carreira

E para descobrir se o doutorado é a melhor especialização para você, listamos abaixo algumas ocasiões em que esta é uma boa opção de caminho profissional a ser seguido.

  • Se você possui um interesse aprofundado por um tema específico dentro da sua área de conhecimento;
  • Se suas aspirações de carreira são voltadas ao universo acadêmico;
  • Se possui o desejo de seguir lecionando e deseja ocupar cargos altos dentro das universidades;
  • Se a aptidão científica é uma paixão e você quer seguir produzindo conhecimento técnico e específico.

Além disso, vale destacar que é sim possível realizar doutorado sem fazer o mestrado antes, mas isso varia a cada instituição de ensino, e é preciso ter o projeto da pesquisa aprovado pela faculdade previamente. 

Como entrar para um doutorado?

Antes de tudo, para começar um doutorado, o acadêmico deve apresentar uma tese e obter o apoio de um orientador da sua área de conhecimento. Para que o candidato possa se empenhar devidamente na pesquisa, são exigidas várias habilidades acadêmicas de pesquisa e escrita, além do comprometimento com as entregas e conhecimento prévio na área estudada.

Com tudo isso, são aplicadas uma prova e uma entrevista que testam os domínios teóricos do candidato na sua área de especialidade. O currículo também é levado em consideração, experiências acadêmicas, provas e certificados comprovando conhecimentos também. Outra exigência que vale destacar é o conhecimento e domínio de, pelo menos, dois idiomas estrangeiros (o inglês deve ser um deles).

Em resumo, no geral, as principais etapas para aprovar uma tese de doutorado são:

  • Análise do currículo do candidato
  • Verificação do projeto de pesquisa
  • Prova para testar conhecimentos específicos na área
  • Entrevista com instituição de ensino

Quais as vantagens de fazer um doutorado?

Por mais trabalhoso e exigente que pareça ser a elaboração de uma tese de doutorado, muitas oportunidades podem vir decorrentes de tanta pesquisa e empenho – desde desenvolvimento pessoal e profissional até reconhecimento acadêmico e mais destaque na profissão. Por isso, separamos abaixo algumas vantagens de fazer um doutorado:

  • Aprimorar o conhecimento em línguas: elaborar uma tese de doutorado exige muita pesquisa, inclusive em línguas estrangeiras. Não à toa, são exigidas outras duas línguas além do português para a realização de um doutorado. Desta forma, é inegável que o candidato irá melhorar suas capacidades linguísticas e vocabulário.
  • Oportunidade de experiência no exterior e intercâmbio: devido às exigências linguísticas que citamos anteriormente, as oportunidades de intercâmbio e experiências no exterior são mera consequência. Existem várias oportunidades de doutorados fora do país, além de congressos internacionais que possibilitam networking com acadêmicos de todas as áreas do mundo.
  • Especialização e desenvolvimento do pensamento crítico: defender uma tese de doutorado força o candidato a estimular ainda mais sua capacidade argumentativa e pensamento crítico. Por isso, o doutorado é uma especialização que forma acadêmicos ainda mais analíticos, críticos e técnicos.
  • Novas possibilidades de carreira: além de ser um grande diferencial no currículo de qualquer profissional, um doutorado garante diversas oportunidades de carreira além de lecionar. Um doutorado destaca qualquer profissional no mercado de trabalho, especialmente para cargos mais técnicos e de gestão, especialmente os que oferecem salários mais altos. As possibilidades são infinitas!

Veja também: As oportunidades com os cursos de Pós-Graduação

Onde fazer doutorado?

Existem diversas opções de instituições de ensino para considerar na hora de escolher onde fazer doutorado. Algumas oferecem exigem mestrado, outras contam com doutorados profissionalizantes. Pesquise por todas as opções disponíveis na sua área de conhecimento e decida qual tipo de doutorado é o mais indicado para você.

Cursar um doutorado exige um investimento um pouco mais elevado, portanto vale buscar por universidades que oferecem bolsas de estudo na área e acolham profissionais mais maduros em suas áreas de pesquisa. Abaixo, separamos algumas opções.

E aí, está decidido a fazer doutorado e se especializar ainda mais na sua área de conhecimento? Conta para a gente abaixo nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin