Conheça o guia criado para incluir pessoas trans e não-binárias no mercado de trabalho

casal não-binário

A linguagem reflete de forma direta como a sociedade se comporta. Até  hoje, ainda é comum ouvir expressões como “isso é coisa de mulher” e “nasceu homem vai morrer homem”, sem questionamentos.

No entanto, essas frases agora começam a ser discutidas. Pensando nisso, diversos setores da sociedade estão se movendo e criando ações para superar preconceitos. Esse é o caso do aplicativo de  idiomas Babbel, uma das empresas mais inovadoras do mundo, em parceria com a TransEmpregos, o maior banco de currículos e vagas para profissionais trans.

O app, em parceria com a TransEmpregos, está lançando o guia “Orientações para a inclusão linguística de pessoas trans”, que visa diminuir o preconceito por meio da linguagem. O material é assinado pela Dra. Carmen Rosa Caldas-Coulthard, doutora em Linguística,  professora da Universidade Federal de Santa Catarina e pesquisadora da Universidade de Birmingham (Reino Unido).

O que é e para que serve o guia  “Orientações para a inclusão linguística de pessoas trans”?

O guia “Orientações para a inclusão linguística de pessoas trans” é um material que contextualiza a importância da comunicação inclusiva para lidar com identidades diversas, promovendo, assim, um tratamento mais igualitário.

Como afirmou Maite Schneider, uma das fundadora da TransEmpregos, não adianta apenas contratar pessoas trans. São necessárias ações para que elas sejam recebidas da melhor forma.

Chamar uma pessoa trans pelo nome de registro, pode gerar constrangimento. No entanto, diversas pessoas trans relatam que ainda são chamadas dessa forma. O ideal é perguntar para cada indivíduo como deseja ser chamado.

Todas essas questões passam pela linguagem e, por isso, “Orientações para a inclusão linguística de pessoas trans” é tão importante. O material traz ainda formas de construir as frases de forma neutra. Ao invés de dizer “gostaria de ajudá-lo”, é preferível dizer “gostaria de ajudar você”.

Os pronomes só devem ser usados quando realmente necessários. Caso contrário, é possível e aconselhável optar pela supressão deles. Antes de nomes, por exemplo, eles podem ser evitados. A frase “A Cris irá para a reunião” pode ser dita da seguinte forma “Cris irá para a reunião”.

O trabalho será apresentado às empresas parceiras da TransEmpregos. Além disso, quem quiser, pode baixar o guia sem custo e utilizá-lo para conscientizar as pessoas sobre como se comunicar de forma mais inclusiva.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin